quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Eram duas ventarolas...

Eram duas ventarolas...


Eram duas ventarolas...

É apenas uma lenda, mas é bonita!!!
Exu foi chamado ao reino de Olokun, senhor dos mares, para um trabalho que somente ele poderia realizar. Ao chegar à sala do trono ficou encantado ao conhecer Iemanjá, a filha do rei, que andava pelo salão a procura de uma jóia que tinha perdido. A beleza da moça era indescritível e Exu sentiu o ardor da paixão queimar-lhe o peito.
Saiu determinado a cumprir a missão e voltar o quanto antes para pedir a mão da princesa. Nunca ele fora tão rápido no cumprimento de uma tarefa quanto naquela. Em dois dias estava de volta apresentando as provas do sucesso da empreitada. Olokun ficou contentíssimo e ofereceu ao rapaz grandes riquezas, mas este foi inflexível. A ele somente interessava casar-se com Iemanjá. O monarca ficou extremamente irritado com tamanha audácia e mandou que o colocassem para fora de seus domínios.
Exu jurou vingança. Nunca ninguém o tinha tratado daquela forma e não engoliria a desfeita tão facilmente. Durante semanas nada mais fez a não ser arquitetar um plano para raptar a princesa.
Certa manhã, Iemanjá com um imenso séqüito, passeava pelas areias da praia, quando um imenso buraco se abriu a seus pés e a tragou para seu interior. Foi tudo tão rápido que ninguém pode fazer nada. A fenda se fechou como se ali nada jamais houvesse acontecido. Os escravos desesperaram-se, como contar ao rei o sucedido? Certamente seriam mortos sem piedade. Não havia quem não conhecesse a fúria real. Pensando dessa forma todos fugiram e nunca mais apareceram para testemunhar o ocorrido. Enquanto isso nas profundezas da terra Exu desvelava-se em carinho e atenção para ganhar o amor de Iemanjá.
Desesperado com o sumiço da filha o velho rei foi procurar um Babalaô que he contou exatamente o que tinha acontecido e o aconselhou a procurar por Iansã, jovem guerreira que nada temia e por sua rara beleza poderia granjear a simpatia de Exu.
Iansã foi chamada e prontificou-se a buscar a jovem. Providenciou uma oferenda a Ifá, pedindo proteção e força e partiu para o resgate. Depois de muito andar sentiu sob os pés a quentura que denunciava a presença do seqüestrador. Brandiu sua espada no ar, chamando os raios de seu domínio, e enfiou-a na terra com toda a força. Uma cratera se formou e a guerreira foi descendo lentamente. Logo avistou a bela moça sentada a um canto chorando copiosamente, a seu lado Exu afagava-lhe os longos cabelos fazendo juras de amor eterno.
- Vim buscar a princesa! - Seu tom de voz não deixava dúvidas, viera disposta a tudo.
- Como ousa invadir meu reino e ainda por cima ditar-me ordens? - Exu gritava descontrolado
- Minha princesa daqui não sai! - Apontou para os pés de Iansã e um circulo de fogo se formou em torno dela impedindo seu avanço.
- Não discutirei com você, peço a intercessão de Orunmilá, para cumprir a missão para a qual fui incumbida! Raios começaram a se espalhar por todo o espaço, uma ventania muito forte envolveu o corpo de Iansã, que assim chegou perto da moça que a tudo assistia perplexa.
O homem foi jogado contra uma parede atingido pela violência do vento. Um redemoinho as envolveu transportando-as para o reino de Olokun. O mar se abriu dando passagem para o pequeno tufão cavalgado por Iansã. Dos olhos do rei correram lágrimas de alegria e gratidão quando avistou em meio ao tormento o rosto da querida filha.
Iemanjá e Iansã tornaram-se amigas pela eternidade. Exu ainda está no interior da terra, algumas vezes chora por uma e pragueja contra a outra.
Hoje muitos terreiros cantam que em pleno mar havia duas ventarolas. É a essa história que se referem!
" Eram duas ventarolas, eram duas ventarolas
que vinham lá do mar,
Mas uma era Iansã, o Eparrei!
A outra era Iemanjá, Adocia!"

sábado, 1 de outubro de 2016

Comemoração 7 anos

Comemoração 7 anos

Com a benção do nosso Pai Oxalá e de todos os nossos guias , que nós possamos comemorar essa data por muitos e muitos anos !!!!

Gratidão por poder fazer parte dessa família !!!   











 

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Festa de Ano : 11/09/2016 ás 15:00 #7Anos

Festa de Ano : 11/09/2016 ás 15:00 #7Anos

A Família Tabajara e 7 Ondas gostaria de agradecer pela confiança em nossa casa, durante esses 7 anos que iremos completar, gostaríamos de convidar a todos para comemorar conosco, dia 11/09/2016 ás 15:00h. 









video



                                            video





quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Setembro: Mês de São Cosme e Damião

Cosme, Damião,
Doum
Crispim, Crispim, Crispiniano
Doces pra vocês, eu dei
A promessa que eu fiz
Eu paguei
Cosme, Damião, Doum
Sua data no ano eu me lembro
Cosme, Damião, Doum
Doum
27 de setembro
*************************
Papai me mande um balão
Com todas crianças
Que tem lá no céu
Tem doce papai
Tem doce papai
Tem doce lá no jardim
*************************
Noel, noel
Noel a sua barca ai vem
Carregadinha de crianças
De crianças e mais ninguém
*************************
Quero ver as crianças brincar
É Cosme e Damião
É quem vem trabalhar
Jiguidim, jiguidim, jiguidim ê
Jiguidim, jiguidim, jiguidim á
Mas ele é pequenininho
E mora no fundo do mar
Sua madrinha é sereia
Seu Padrinho é Beira Mar
No fundo do mar tem areia
No fundo do mar tem areia
Tem Juquinha à beira mar
Sua madrinha é sereia
*************************
Chiquinha você tem,
Um congá que é uma beleza
Um terreiro enfeitado
Muitos doces sobre a mesa
*************************
27 de setembro
Vai ter festa na macaia
Saravando as crianças
Mensageiras de Oxalá
Saravá a Chiquinha
Saravá Paulinho da Praia
Saravá toda falange
Do jardim e da macaia
É Cosme, é Cosme, é Cosme
É Cosme, é Cosme e Damião
Olhai pelas crianças
Pedi a Oxalá
Daí Luz e proteção
E Abençoe esse congá
*************************
Fui num jardim colher as rosas
E a vovózinha deu-me as rosas
Mais formosas
Cosme e Damião
Oi Doum
Crispim, crispiniano
São os filhos de Ogum
*************************
Eu fiz uma prece
Em forma de canção
E ofereci a Cosme e Damião
Eu pedi a eles
Em nome de Oxalá
Que me dê saúde
E paz para trabalhar
E na minha prece
Em forma de canção
Eu lhes peço ainda
São Cosme e Damião
Pelas crianças,
flor em botão
Pelos velhinhos,
sem lar e sem pão
Pelos soldados,
que a guerra vão
Aceitem minha prece
São Cosme e Damião
*************************
Bahia é terra de dois
É terra de dois irmãos
Governador da Bahia
É São Cosme
E São Damião
*************************
Lá no céu tem três estrelas
Todas três em carreirinha
Uma Cosme e Damião
A Outra é Mariazinha
*************************
Eu vi dois dois
Na beira d’água
Comendo arroz
E bebendo água
*************************
Rosinha
Mora na beira do rio
Na beira do rio, lá no juremá
Onde a lua brilha
Clareia as campinas
Clareia as matas
Pras crianças brincar
**********************
Aquele anel de pedra verde
Que encontrei no mar azul
Quem me deu foi Doum
Quem me deu foi Doum
*************************
Cosme e Damião
Oi Damião cadê Doum
Doum foi passear
No cavalo de Ogum
Dois, dois, sereia do mar
Dois, dois, Mamãe Iemanjá
**********************
Caboclinho de Aruanda
Onde é que você vai
Vou pra casa de Odé
No terreiro do meu Pai
De Aruanda ê
De Aruanda á
De Aruanda ê
Caboclinho de pemba
De Aruanda á
**********************
Mãezinha do céu,
eu não sei rezar
Mas quero te dizer,
pra sempre vou te amar
Azul é seu manto,
branco é seu véu
Mãezinha eu quero
te ver lá no céu
**********************
Eu quero doce,
eu quero bala
Eu quero açúcar pra passar na sua cara
**********************

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

A cura na Umbanda

Resultado de imagem para cura espiritual

A cura na Umbanda é mais ligada à compreensão do ser humano, ao respeito pelo mundo que nos rodeia e a influência das energias que atuam sobre o individuo. Sua finalidade não abrange somente a cura do corpo físico, mas, sobretudo a cura da alma. Essas práticas são um processo manipulativo de energias, que envolvem a relação dos homens entre si e a relação destes com o mundo dos espíritos, que pretendem atingir determinados objetivos, benéficos para todos aqueles que procuram a umbanda para auxiliar em problemáticas terrenas e espirituais.
O passe é uma transfusão de fluidos de um ser para outro. Emmanuel o define como uma "transfusão de energias fisio-psíquicas". Beneficia a quem o recebe, porque oferece novo contingente de fluidos já existentes. Emmanuel o considera "equilibrante ideal da mente, apoio eficaz de todos os tratamentos" e compara sua ação a do antibiótico e à assepsia, que servem ao corpo, frustrando instalação de doenças
São procedimentos que visam curar o espírito e, indiretamente, o corpo. Os espíritas acreditam que o corpo físico está associado ao períspirito - espécie de aura formada por elementos químicos desconhecidos que só existem no plano espiritual. As doenças seriam reflexos de alterações perispirituais, causadas por desequilíbrios morais. Ou seja, para curá-las, cura-se o períspirito. Para tanto, um médium encarna o espírito de um médico e assume o tratamento. 
Uma das formas de utilização das ervas na Umbanda, são na forma de banho. Os banhos de descarrego são usados para eliminar vibrações negativas, limpando o períspirito de miasmas negativos, magia negativa ou mesmo da influência de obsessores. Os banhos de fixação, para adquirir vibrações positivas, vitalizando os chacras do médium de energia positiva para fortalecimento dos processos mediúnicos ou de ligação do espírito encarnado com seus guias e entidades atuantes
Em geral as ervas são indicadas por caboclos ( espíritos indígenas) ou pretos velhos (espíritos em maioria de ex escravos) grandes conhecedores das ervas e seus benefícios.
Por ser o grande policial do astral, o cumpridor da lei, por ser amoral, e usar um tridente na mão exus é tido como o diabo, mas como diz um dito umbandista “sem exus nada se faz”, pois é ele quem faz a segurança de todo e qualquer trabalho.

Fonte: Slideshare.net/douglasportella18

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Só vai entender o que é a Umbanda de verdade…

 Resultado de imagem para umbanda

Quem derramou lagrimas de desespero no abraço de uma cabocla.
Quem sentiu a presença de um preto velho no dia-a-dia, quando estava prestes a “estourar” com alguém…
Quem quando estava acendendo uma vela sentiu ela te responder.
Quem entrou em um terreiro acabado e saiu de lá renovado.
Quem, quando estava no seu íntimo rezando, sentiu aquele arrepio após chamar o seu guia pra pertinho de você.
Quem sentiu o seu coração vibrar só de ouvir o som dos atabaques.
Quem um dia passou a olhar o seu inimigo diferente depois de um sábio conselho de uma entidade.
Quem notou diferença dentro do seu lar/ trabalho depois que fez uma oferenda.
Quem ama os seus guias.
Quem conta os dias, horas, segundos para que o dia de trabalho chegue.
Quem sente o amor do pai Oxalá.
Quem não se sente sozinho, pois sabe que seus guias jamais te abandonarão.
Quem um dia derramou lagrimas de agradecimento por ter notado a sua vida mudar depois que entrou na umbanda.


Texto de autoria desconhecida.